Como aprender línguas?

1. Dicas

Para além de tirar cursos de línguas, há sempre outras coisas que pode fazer para melhorar enquanto aprendente de uma língua, quer num nível de iniciação quer num nível avançado. Com base na experiência de professores e de outros aprendentes, apresentamos-lhe algumas dicas e ferramentas úteis.

«Pratica e serás mestre» é um provérbio antigo, mas continua a ser actual. Uma língua não aparece por magia, vem com muita prática. «Praticar, praticar, praticar», recomenda Sandra, de França. «Só me tornei fluente quando comecei a falar a língua no meu dia-a-dia».

Não tenha vergonha. Muita gente, especialmente quando fica mais velha, hesita em praticar uma língua estrangeira porque se sente intimidada ou receosa por cometer erros. «As pessoas não irão fazer pouco de si se der um erro», assegura Simon, gestor britânico, aos companheiros que aprendem línguas. «Ficarão agradadas e impressionadas pela sua capacidade, mesmo que ainda seja muito limitada».

Divirta-se e desfrute da experiência. Se for considerado como uma activi- dade monótona e fastidiosa, o estudo de uma língua não será eficaz e a sua motivação diminuirá. Existem muitos recursos disponíveis que acrescentam algo divertido ao processo de aprendizagem. Cristina, consultora italiana, sugere o seguinte: «Aprender uma língua não deve ser um fardo, tem de se sentir prazer na sua aprendizagem».

Adapte a sua aprendizagem. Toda a gente tem diferentes métodos de aprendizagem, sendo por isso melhor fazer experiências até encontrar o que funciona melhor para si. Planeie a sua aprendizagem de uma língua de um modo que se adapte a si e à sua rotina diária.

Use regularmente a língua. A sua  língua é como o seu carro, deixar de a utilizar regularmente pode torná-la lenta e enferrujada.

Seja realista. Não tente aprender tudo de uma vez. Defina objectivos claros e realistas.

• O passado não quer dizer nada. Algumas pessoas pensam que por não ter conseguido aprender uma língua na escola não serão capazes de o fazer na idade adulta. No entanto, muita gente que não foi capaz de aprender uma língua na escola consegue-o quando é mais velha, em parte graças aos métodos modernos divertidos e eficazes e a uma maior motivação para aprender.

Nova forma de pensar. Aprender uma língua implica também aprender a perceber outras formas de pensar e de fazer coisas.
Deixe-se contagiar. Exponha-se o mais possível à língua-alvo.



Ginástica mental

Segundo uma crença popular, aprender várias línguas confunde o cérebro. No entanto, demonstrou-se que quanto mais línguas se aprendem, mais fácil é aprender novas. «Conhecer mais do que uma língua é uma ajuda. Tem uma ligeira vantagem em adaptar-se, consegue pronunciar melhor certas palavras e as vogais parecem um pouco mais fáceis», afirma o actor americano-dinamarquês Viggo Mortensen.

Os linguistas descobriram também que saber falar mais do que uma língua pode trazer benefícios noutros aspectos, tais como reforçar as capacidades de raciocínio e ajudar a um melhor desempenho académico. Por exemplo, os investigadores descobriram que as crianças bilingues resolvem mais facilmente problemas que incluam informações enganadoras.

Na opinião de algumas celebridades, há outras vantagens em aprender línguas. O comediante britânico e a estrela dos Monty Python, John Cleese, acredita que «aprender uma língua torna as nossas mentes mais fortes e mais flexíveis. Aliás, dá-nos uma experiência completamente nova do mundo».



© União Europeia

Study in Poland
Privacy Policy